HPV e Doenças Sexualmente Transmissíveis

14 de abril de 2018

O HPV (sigla de Human papillomavirus = papilomavírus humano) é um vírus que provoca o desenvolvimento de verrugas na pele ou mucosas. De acordo com o subtipo, pode estimular o surgimento de verrugas comuns, ou ainda de verrugas venéreas – também conhecidas como condiloma acuminado, atualmente a doença sexualmente transmissível mais comum em todo o mundo. As verrugas venéreas e outras lesões por originadas pelo HPV podem estar associadas ao vírus de baixo risco ou de alto risco. Os vírus de alto risco têm potencial oncogênico e podem provocar o desenvolvimento do câncer.

Homens e mulheres podem ser contaminados por este vírus, o que provoca o desenvolvimento de verrugas na região genital (pênis, vulva, colo do útero e ânus) ou ainda na mucosa oral (língua, palato, laringe ou corda vocal). No ânus pode afetar o Epitélio externo e/ou interno. Portanto, o câncer pode surgir em qualquer região com lesões por HPV. Quando estas lesões estão situadas no ânus podem não ser percebidas pela pessoa, retardando seu diagnóstico e tratamento.

Atualmente, o exame Papanicolau é também realizado no ânus, por meio de coleta de raspado de células com uma escova apropriada de cerdas finas, que é posteriormente encaminhado ao Citopatologista (médico especialista em avaliar as células da amostra em microscópio). O exame é muito importante na prevenção do câncer de ânus, em especial nos pacientes que já trataram ou tratam o HPV anal, anoperineal, vulvar ou de colo uterino. A colposcopia anal (exame realizado com auxílio de equipamento dotado de lentes de aumento) também é um exame de grande importância na prevenção, tratamento e controle das lesões que podem provocar o câncer de ânus.

A contaminação e transmissão do HPV pode ser reduzida com uso de preservativos, embora não elimine totalmente este risco, tendo em vista que a transmissão ocorre por contato direto (pele-pele, pele-mucosa). Portanto, a contaminação oro-genital e o contato com outras superfícies corporais, difíceis de proteger, são algumas formas de contaminação e transmissão entre indivíduos.

Ainda assim, o sexo protegido tem sua máxima importância com relação à prevenção de todas as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) que podem afetar a região anorretal, tais como a sífilis anal, a infecção retal por gonorreia, o HIV, bem como outras infecções anorretais por herpes e clamídia, em especial.

Aviso Legal

As informações contidas neste website são de caráter exclusivamente informativo e educacional e, portanto, não pretende substituir a consulta médica nem recomendar plano de tratamento. Seu médico deverá sempre ser consultado - somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina. Respeitamos os artigos da Resolução nº 1974/11 do Conselho Federal de Medicina.

Temas Recentes

Copyright by Edna Ferraz 2018. Todos direitos reservados