Colposcopia anal (Anuscopia de alta resolução)

14 de abril de 2018

Na Coloproctologia, uma das preocupações é a pesquisa de lesões de pele e mucosa anorretal desencadeadas por HPV (Human papillomavirus ou papilomavirus humano) e a prevenção do câncer anal. Os exames mais utilizados para o diagnóstico e controle do tratamento dessas lesões, são:

  • Papanicolau – exame de prevenção do câncer anal, em que se faz a coleta de amostra de células da superfície do canal através de uma escova, com a finalidade de identificar alguma displasia epitelial.

Este termo surgiu em homenagem ao médico patologista grego Georges Papanicolaou, que criou o método no início do século passado. Corresponde ao exame Papanicolau utilizado na prevenção do câncer de colo de útero nas mulheres, sendo a técnica semelhante, mudando apenas o modo e o local de coleta.

Para quem está indicado este exame – todos os pacientes adultos, de ambos os sexos, que já tenham sido diagnosticados e tratados com lesões por HPV na região anorretal, são candidatos ao rastreamento periódico por este método. Para as mulheres que já tenham recebido tratamento para lesões por HPV genital (uterino, vaginal ou vulvar) sabe-se da importância da avaliação concomitante da região anorretal, que neste caso faz parte da investigação do Coloproctologista. Então, cabe ressaltar a importância de informar na consulta coloproctológica caso já tenha tratado este tipo de problema. Outros indivíduos estão naturalmente mais expostos a esta condição (HPV), como é o caso de pacientes HIV positivos, transplantados, com problemas da imunidade devido a doenças crônicas ou medicamentos, bem como homens e mulheres que praticam o sexo anal, sendo fortes candidatos a este tipo de avaliação, ainda que não apresentem sintomas.

Como é feito o Papanicolau – a coleta é realizada em consultório, com o mesmo tipo de escova usada pelos ginecologistas no exame preventivo de colo uterino. A amostra é levada ao laboratório em lâmina de vidro, dentro de frasco, para avaliação do médico Citopatologista

. É um procedimento simples e rápido, e que dispensa anestesia, mas sempre associado ao exame clínico da região anorretal, pelo médico Coloproctologista.

O que este exame pode informar – permite detectar se existe displasia epitelial e qual o grau de alteração.

  •  Anuscopia de alta resolução (ou colposcopia anal) – é um procedimento que permite avaliar com  canal anal. O exame é realizado com um instrumento chamado Colposcópio e auxilia na identificação de anormalidades no revestimento do ânus, como por exemplo a displasia epitelial.

Se, durante o procedimento, for encontrada uma área suspeita, uma Biópsia pode estar indicada.  É um exame mais demorado, mas geralmente muito bem tolerado. Em geral, não é necessário nenhum tipo de preparo especial, sendo realizado no ambiente do consultório.

O procedimento pode ser indicado para tanto para diagnóstico quanto para a vigilância dos pacientes portadores de displasia epitelial, sendo considerado um exame de prevenção do câncer anal para os casos com indicação ou suspeita. Homens ou mulheres com história de tratamento prévio (ou em tratamento) de verrugas genitais por HPV, podem ter indicação do exame. Mesmo na ausência de sinais ou sintomas, havendo suspeita, pode ser útil no diagnóstico da displasia anal.

Aviso Legal

As informações contidas neste website são de caráter exclusivamente informativo e educacional e, portanto, não pretende substituir a consulta médica nem recomendar plano de tratamento. Seu médico deverá sempre ser consultado - somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina. Respeitamos os artigos da Resolução nº 1974/11 do Conselho Federal de Medicina.

Temas Recentes

Copyright by Edna Ferraz 2018. Todos direitos reservados